#ZPDailyReview: The Lurkers – Sex Crazy

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Todo dia um review rápido, uma indicação do que ouvir e o caminho das pedras:

The Lurkers – Sex Crazy (2020)

O Lurkers é originário da cena punk 77 inglesa. Como muitas bandas de sua época, trocou bastante de formação e durante os anos teve idas e vindas entre hiatos e discos sortidos. Da formação dita clássica, Arturo Bassick foi quem seguiu carregando o nome e o cancioneiro do grupo durante as décadas de 80 e 90, inclusive se tornando um tanto mais popular no Brasil no final dos anos 1990 graças a relação do grupo com o selo paulistano Ataque Frontal,  o qual os trouxe para shows e lançou um cd gravado ao vivo por aqui. Essa encarnação do Lurkers que frequentou terras verde-amarela foi gradualmente sendo “substituida” por uma novo lineup, este formado por três dos integrantes originais do conjunto que resolveram retornar à cena: Pete “Manic Esso” Haynes, Nigel Moore e Pete Stride. O trio se reuniu por volta de 2010 sob o nome de The Lurkers:God’s Lonely Men e tomou de volta pra si o título de The Lurkers pouco tempo depois.
Com esta formação, e com colaboração da vocalista Danie Centric do The Feathers em diversas canções e singles, o grupo chega a este novo álbum de inéditas.
“Fits You Like A Glove” que abre o álbum carrega o DNA do punk original inglês e dá o recado que “Sex Crazy” quer dialogar diretamente com discos setentistas da banda como “Fullham Fallout” e “God’s Lonely Men”. A partir dai é só administrar a coisa, apostando em bases simples e refrões fáceis, pisando um pouco fora da fórmula quando Danie assume os vocais, como na agressiva “High Velocity” e na excelente “Electrical Guitar”. A vocalista seguramente faz a diferença e deveria ser incorporada de vez nesta nova formação.
Obviamente o Lurkers não quer e nem precisa apresentar novidade alguma. É punk 77 original de fábrica e dispensa acessórios. Mas é sempre legal ver bandas olhando pra frente, não querendo apenas viver de catálogo. Só por isso “Sex Crazy” já merece atenção.
Lançado em CD, LP e digital.