Pom Poko compartilha vídeo para novo single “Like A Lady” do próximo LP “Cheater”

foto por Jenny Berger Myhre

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Com seu novo álbum Cheater  a ser lançado dia 15 de Janeiro via Bella Union, e com as faixas já lançadas ‘Andrew’ e ‘My Candidacy’Pom Poko lançou um clipe divertido para o novo single “Like A Lady”. A banda tem a dizer: “Like A Lady foi uma das primeiras músicas que escrevemos para o álbum – começamos a escrever em uma cabana perto de Oslo e terminamos em Piemonte, na Itália, onde começamos a gravar. A música antes começava com uma longa introdução, algo que era quase como uma jam session de rock, mas quando fomos gravar nosso amigo/coprodutor Marcus Forsgren sugeriu uma intro mais no estilo grunge e nós gostamos e seguimos com a ideia. As letras da música cresceram lentamente de tocarmos em grupo, e são sobre o que faz, ou que um pensa que faz, uma mulher, o que significa ser uma mulher, e é também uma homenagem a todas as maneiras diferentes de ser uma mulher no mundo.”  
“Se você está procurando uma nova banda favorita, considere Pom Poko para essa posição,” Tim Burgess postou no Twitter em abril, depois da banda pop-punk Norueguesa de não conformistas revisitar seu álbum de estreia Birthday, em uma das famosas Twitter listening parties de Burgess. O segundo álbum de Pom Poko, Cheater, sairá no começo de 2021. Entre as doces melodias, punk e erupções de rock, Cheater traz o som de uma banda celebrando o que faz deles uma banda tão única.
 
A cantora Ragnhild Fangel explica o salto de Birthday para Cheater, “Acho que é muito válido dizer que nós queríamos assumir um pouco mais dos nossos extremos. No processo de produção, nós miramos no contraste entre músicas com letras e arranjos bem meticulosos e uma execução e produção mais caótica, mas ainda permitindo a exploração nas partes menos frenéticas do universo de Pom Poko. Acho que pelo lado mais extremo e doloroso, e também pelo lado doce e adorável, esse álbum é uma amplificação.”
Sonoramente e tematicamente, a sensação de amplificação é apresentada logo de cara, abrindo com a faixa título. Ao som de uma guitarra turbulenta, um riff que se debate e um doce vocal, “Cheater” completa sua onda de serotonina com letras sobre sonhos, Ragnhild diz, sobre o tipo de “pessoa que trai e não entende o porquê as coisas não aconteceram exatamente do jeito que ela queria de primeira”: temática que se reverbera por todo álbum.
A partir disso, Pom Poko encontra seus extremos com muita confiança. A melodia alegre, amarradas com críticas a estereótipos de gêneros, “Like A Lady” é afiada e cativante. O primeiro single “Andrew” mostra a simplicidade em um dos refrões mais adoráveis da banda, mas eles nunca se acomodam com o óbvio: as guitarras de jazz de Martin Miguel Tonne fazem tudo menos o que você espera delas.
 
Mais evidências disso estão no contraste entre a rápida e animada “My Candidacy” – feita em menos de três horas  – e a suave “Danger Baby”, um conto de medos irracionais com uma união inesperada da voz de Ragnhild com a guitarra de Martin. Esse amor por sincronicidades surpresa, sons inclinados e assuntos inesperados impulsionam “Andy Go to School”, onde uma linha de guitarra ajustada no ritmo acompanha uma letra que exalta os prazeres dos parques aquáticos e uma paleta sônica fluida. “Perto do final, um dos pedais da guitarra fez um grande som de BZZZ em uma pausa, mas achamos que ficou legal e cru, então simplesmente seguimos com ele,” disse Ragnhild. “Nós gostamos de misturar a sensação de uma peça produzida cirurgicamente com sons aleatórios que surgem quando você está tocando com a banda inteira.”   
Depois da abertura, “Look” estende esse espírito de abertura a um convite para olhar fora de si mesmo, antes que “Body Level” termine o álbum em uma nota de positividade caracteristicamente generosa, desprotegida – amplificada. “As coisas ficam melhores,” canta Fangel, abraçando a franqueza com a mesma prontidão com que Pom Poko exulta em sua complexidade vertiginosa.

O som de quatro personalidades distintas dirigindo em direções diferentes para um mesmo destino, mostra o resultado de quando Fangel, Tonne, Jonas Krøvel (baixo) e Ola Djupvik (bateria) se juntaram para tocar jazz em um festival de literatura em Trondheim (onde eles estudavam). Se inspiraram no nome e espírito da animação Japonesa do Studio Ghibli do filme fora da curva sobre guaxinins com testículos inviavelmente grandes, Pom Poko mostrou sua forte individualidade em 2019, com Birthday. Ao longo do caminho, eles receberam elogios de NME, DIY, PopMatters, The Line Of Best Fit, The Independent e BBC Radio 6 Music, também foram nomeados a dois Prêmios do Grammy Norueguês (Spellemannprisen) e The Nordic Music Prize. Além disso, uma grande turnê com vários shows esgotados e um passeio bem recebido pelo Reino Unido com Ezra Furman.     

Escrito no mesmo período de produção dos lançamentos “Leg Day” (com seu lúdico vídeo dançante) e “Praise”, e gravado/produzido com Marcus Forsgren (Jaga Jazzist, Broen, Arc Iris), Cheater faz o seu antecessor orgulhoso em todas as frentes. Sua capa cheia de cor e vida (feita pelo colaborador Erlend Peder Kvam), Cheater é diferente de Birthday inicialmente que suas músicas não tiveram a chance de serem testadas antes de gravar no estúdio. Mas não é nem perceptível. Como Ragnhild explica, “Nós tivemos que ensaiar as músicas de maneira séria, mas também significou que elas teriam potencial de passarem por mudanças já que não tínhamos uma imagem clara do que cada uma poderia se tornar.”   
Em outras palavras, considere a vaga para aventureiros, pensadores e punk-pop na sua vida preenchidos.