Banda Tarda lança o álbum “Futuro”

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Produzido pela própria banda, as gravações de “Futuro” se iniciaram em 2018 e foram finalizadas em 2020. As gravações foram realizadas nos estúdios caseiros “Quarto Intergaláctico” em Belo Horizonte, com gravações adicionais feitas no estúdio “Frango no Bafo” em Belo Horizonte e no “Estúdio-coisa” em São Paulo. A mixagem é assinada por Victor Galvão e a masterização por Lina Kruze. O álbum conta com 11 faixas que transitam entre o Shoegaze e o Dream Pop, com influências do Post Rock. Entre algumas das referências sonoras, destacam as bandas Slint, Low, Warpaint e Beach House. 

Idealizada e fotografada por Randolpho Lamonier, a capa do álbum mostra uma cama-embarcação em devaneio ao inconsciente, para além do plano físico. Estamos em um território em dissolução, seguimos para uma direção que não é palpável. Cruzar o planeta de um lado a outro é possível, o desafio é conhecer o que existe por dentro.

O show de lançamento está marcado para 20/12, dentro da programação do Festival Som e Fúria do Galpão Cine Horto. Os integrantes do projeto se encontram em diferentes cidades, Julia e Sara em Belo Horizonte, Paola e Victor em São Paulo, Randolpho em Paris. Desde março de 2020, os artistas vêm trabalhando a distância, através de videoconferências e compartilhamento de tela, como principal ferramenta de encontro e de criação coletiva.

Link de Futuro nas plataformas de streaming: https://fanlink.to/tardafuturo

Sobre a Tarda:

TARDA é uma banda/projeto audiovisual formada pelas artistas Julia Baumfeld, Paola Rodrigues, Randolpho Lamonier, Sara Não Tem Nome e Victor Galvão. Atualmente, os integrantes estão divididos entre Belo Horizonte, São Paulo e Paris. O projeto integra as múltiplas atuações das artistas entre os campos das artes visuais, música e audiovisual, abordando deslocamentos emocionais e cognitivos que caracterizam as tensões de identidade nas relações humanas e fluxos caóticos de informação. Os artistas utilizam de mídias digitais e analógicas para criação de videos, fotografias, ilustrações, desenhos e músicas. Realizaram apresentações em Minas Gerais e São Paulo. Em 2020, receberam o prêmio BDMG de curta-metragem de baixo orçamento com o filme “Buraco de Afundar”.