#ZPDailyReview: Warrior Kids – Les Temps Pourris

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Todo dia um review rápido, uma indicação do que ouvir e o caminho das pedras:

Warrior Kids – Les Temps Pourris (2020)

O Warrior Kids é uma banda francesa street punk na ativa desde 1982. São considerados um clássico do estilo por aqueles lados, apesar da pouca visibilidade além das fronteiras locais.
Com mais de dez discos full em sua longa carreira, o conjunto ainda segue produzindo música inédita e criativa, não se prendendo a um formato. Nas 12 faixas deste novo álbum, abrem com a pegada clássica oitentista de “Les Temps Pourris”;  logo dando espaço para uma sonoridade mais amena, com direito a naipe de metais e tudo, em “Faites entrer l’enculé”. Mais a frente os caras dão espaço para uma pitada de ska em “Le 5ème commandement”, e carregam a mão naquele estilo clássico 77 inglês em “On n’et pas das voyous’. Já em “En Force” lembram totalmente The Clash, talvez a melhor referência pro seu som. Inclusive em seu site oficial o grupo diz que o clipe de “Tommy Gun” do The Clash na TV foi o que fez dois de seus integrantes – Marc e Karim – iniciarem o Forefinger em 1979, grupo que deu origem ao Warrior Kids alguns anos após.
Outra referência interessante no disco é a faixa “Poison & Lux”, um quase rockabilly instrumental em tributo direto ao casal frente do The Cramps.
Lançado em LP, CD e nas redes digitais, “Les Temps Pourris” vem a ser um lançamento que foge do lugar comum dentro do punk rock, tanto pela língua quanto pela amplitude de boas influências.