Brisa e rock alternativo em novo single da Fluhe

foto por Agê Massinhan

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Com acordes cirúrgicos, a Fluhe extravasa pela potência do single “O elo que falta”, lançado via Alcalina Records. A música antecipa o disco de estreia , “sobre nós”, que contará com fortes influências do rock alternativo, com mais distorções e menos sintetizadores. O single remete a sonoridade de Tommy Guerrero, skatista e músico, cujo as músicas influenciaram a pré-produção do single. A canção já se encontra disponível nos streamings.

“Inicialmente, a música se chamaria ”G is for warrior”, fazendo uma alusão ao músico e skatista Tommy Guerrero. Porém o conceito de luta vem do câncer de mama, no qual convivi com uma pessoa que venceu esta doença. A ideia é que para superar um obstáculo, seguimos em busca pelo elo que falta”, explica Chico Leibholz.

A música “O elo que falta” sucede o single “Apenas sonhos”, lançado em junho/2020. A melodia surgiu alguns meses após o lançamento do primeiro EP da Fluhe, “Leve Devaneio Sobre Ansiedade”, lançado em 2019 via Alcalina Records. 

Fundada pelo multi-instrumentista Chico Leibholz (Boom Project, Soulstripper, Os Augustos), a Fluhe conta com temática urbana e instrumental, e envolve elementos do rock e da soul music, com altas doses de Trip Hop. Essa mistura encantou o público, levando o projeto a festivais como o Bananada (GO) e o CoMA (DF). Além de músico, Chico também é conhecido na cena por seu trabalho como engenheiro de som, tendo trabalhado no estúdio na Casa do Mancha. Atualmente, é o responsável pelo estúdio Baixo Augusta, em São Paulo (SP).

O single “O elo que falta” contou com Chico Leibholz na produção, captação, gravação, mixagem, masterização e design da capa. As guitarras do refrão são de Agê (Andaluz).

Ouça “O elo que falta” nos streamings: https://ditto.fm/o-elo-que-falta