Oitão mostra grito de indignação e revolta em ‘Proteste’

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

Indignação é um sentimento que, há décadas, une os brasileiros quando o assunto é desacertos e mazelas na política nacional, ou melhor, politicagem, enquanto a ação transgressora do real sentido de governar e conduzir a nação. Como um grito de revolta, o Oitão, que hoje é Henrique Fogaça (vocalista), Marcus D’Angelo (bateria), Caio D’Angelo (baixo) e Ciero (guitarra) lança o single ‘Proteste’. Assim como em ‘Instinto Sujo’, carrega a potência e fúria da banda numa música urgente e pontual. Ouça aqui: https://bit.ly/3eUjpgu.
‘Proteste’, que ressalta ainda mais a amálgama do metal com o punk, ganha dinâmica na versão lyric-video, já disponível no canal do Youtube da Canil Records. Confira aqui:


Como destaca Fogaça, ‘Proteste’ é um retrato de uma realidade que se arrasta pelo Brasil no que diz respeito à incompetência e avareza na política. “A música traz à tona uma indignação de anos, cada vez mais voraz”. É, também, um chamamento para que a situação mude e por meio de todos os brasileiros juntos. “Vamos questionar juntos, juntos somos mais fortes, independente se você é do rock ou de qualquer outra tribo. ‘Proteste’ é para todas as pessoas indignadas que se identificam com essa revolta”, completa o vocalista.
Junto ao single, o Oitão lança o projeto “Proteste por um Mundo Melhor”. A ação vai ajudar pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade social por meio de arrecadações de alimentos, cobertores, roupas e produtos de higiene pessoal no restaurante Jamile, na capital de São Paulo. Tudo que for arrecado será entregue a eles no mesmo dia da ação Marmita do Bem.
Para Fogaça, o idealizador do projeto, a ideia surgiu após a criação da letra da música ‘Proteste’. “A banda tem como objetivo expressar a liberdade de expressão, nosso cotidiano, sermos livres de qualquer tipo de preconceito, discriminação, miséria, desigualdade, preconceito, exclusão social, saúde precária etc”.

Saiba mais sobre as campanhas

Marmita do Bem: https://bit.ly/2MuqYyr
Cobertor do Bem: https://bit.ly/2AHDIPu