Do vento minuano às terras gélidas do norte da Europa. Conheça o The Hot Babe Lovers

Gosta do trabalho do ZonaPunk?
Então se torne um apoiador e ajude-nos a manter o site ativo: https://apoia.se/zonapunk

As guitarras rápidas e harmônicas do surf/skate Hardcore e os sons arrastados e pesados do stoner, formam a base de muitas das influencias do músico Mauricio Mirapalheta.
Natural da cidade de Pelotas/RS e de origem periférica, sempre sentia uma fluidez natural da música no seu cotidiano, mas foi o disco Black Sabbath vol. 4 que mudou sua vida. Apresentado pelo seu pai Júlio, Mauricio diz ter-se contagiado com os riffs pesados de Tony Iommi e pela voz fantasmagórica de Ozzy Osbourne, “Estava no carro com meu pai quando ele colocou esse disco, ele gostava das baladinhas, mas, eu curti o peso, aquilo mudou a minha vida e aos 10 anos de idade quis começar a aprender a tocar guitarra e bateria”.
Já no início dos anos 2000 com a explosão dos jogos de esportes radicais o jogo Mat Hoffman’s Pro BMX, despertou novos interesses, bandas como Pennywise, Ten Foot Pole, Bad Brains, que faziam parte da trilha do jogo marcava um novo momento no cenário musical. Vários jogos estavam sendo lançados com essa temática e a trilha sonora protagonizava tanto quanto ao próprio jogo. Cada vez mais bandas começavam a aparecer, e o público aumentava exponencialmente, o que não foi diferente para Mauricio, que a partir dessas influências de hardcore/punk californiano montou a The Hot Babe Lovers anos depois.
A The Hot Babe Lovers já contava com algumas músicas em plataformas como soundclound, elas foram produzidas por Rodrigo “Esmute” Farias, mas era algo bem superficial pois tratava-se apenas de guias para uma possível produção futura de cunho mais profissional. Mas foi a mudança para a Finlândia após casar-se com uma finlandesa em 2014, que ele se viu na dificuldade de gravar suas músicas. “Pra mim é muito mais fácil compor sozinho, claro que talvez fosse um pouco facilitador ter outras mentes no processo em alguns aspectos, mas me soa bem antinatural não tirar inteiramente de mim uma energia por inteira que será transformada em som”. Aprender o processo de gravação se tornou obrigação a partir daquele momento. A banda nunca teve uma formação original, Mauricio sempre foi responsável por tudo: letras, composições, harmonias e execução dos instrumentos. Após dominar o processo de gravação, mixagem e masterização, o próximo passo era colocar em prática a produção do seus discos, e em 2018 seu primeiro disco é lançado, o álbum intitulado Meninist. No ano seguinte, 2019, Mauricio lança o D.I.Y stories além de 6 singles. Um novo Ep, novas ideias. A Califórnia está presentes em suas músicas como podemos ver na The Hot Babe Lovers, sons que alternam do punk rock do Descendents ao ska, reggae de Dirty Heads e com toque abrasileirado de Garage Fuzz.
O Midnight Sessions, novo trabalho da The Hot Babe Lovers, já vem com outras vertentes, segundo Mauricio, desta vez ele se permitiu expressar suas outras influências: “Eu to me permitindo expressar o resto das minhas influencias como stoner rock, rock alternativo em geral, claro, com fortes elementos de punk rock, mas não me limitando e compondo dentro de uma caixa como eu estava fazendo antes“.
Mauricio tem por características uma voz rasgada com drive, suas composições são harmônicas e bem trabalhada, tirando vantagem de poder fazer tudo do seu jeito. A preocupação em se inserir em um nicho, limitava o musico a um cenário
musical especifico, mas, a facilidade de compor com a adição de influencias como o disco do Black Sabbath “Vol.4”, dava a ele novos ideias que deveriam ser expressada de alguma maneira como pode ser visto em Midnight Sessions.
Mas não é só da música que emerge a inspiração de Mauricio. Com guitarras mais arrastadas, pesadas e letras inspiras em filmes de terror dos anos 70, como “Massacre da Serra Elétrica” e “A Noite dos Mortos Vivos”, Mauricio ainda faz uma justa homenagem a era Grindhouse das antigas salas de cinemas americanos. Além de todo o terror inserido nas letras do disco, sobrou espaço para dialogar também com o filme de comédia da mesma época, como “Curso de Verão” (Summer School). O motivo de um filme de comédia estar no meio desse terror todo, é a identificação de Mauricio com filme, criando assim um extremo entre os estilos, da agonia do terror a leveza da comédia. No filme o diretor Carl Reiner retrata jovens que repetem de ano, e são informados que terão que assistir aulas de reforço durante o verão. “Essa é praticamente a minha história, eu nunca estava aí pra nada“, disse Mauricio.
O disco será lançado numa semana especial, na Jason Week no dia09/06/2020. A data escolhida presta uma homenagem a um dos personagens mais icônicos dos filmes de terror: Jason Voorhees, o assassino em série da franquia sexta-feira 13, que nasceu no dia 13/06/1946. O disco será disponibilizado em diversas plataformas de streaming como Spotify e Deezer, além do Youtube e Soundcloud.