PRIMAVERA SOUND 2020 – Um cartaz para calar a boca e dar no que falar

Por Mauricio Melo & Ana Paula Soares

Enquanto circulávamos no recinto do Parc del Fòrum no ultimo dia da edição do mesmo evento em 2019, o burburinho deixava claro a vontade do publico mais clássico. A máxima era: “Se o Primavera não caprichar no cartaz do próximo ano, essa pode ser a ultima vez que venho”… aquele resmungo de canto de boca.
Ato seguido: Antes do final do evento, num dos shows de maior visibilidade de 2019, os organizadores soltam um vídeo com o que de melhor aconteceu na edições anteriores, naquele momento nos dávamos conta da importância do evento e o quanto aprendemos, crescemos, vivemos, cantamos, sorrimos e até mesmo nos aborrecemos. No final do vídeo, o Primavera Sound anunciou o primeiro nome para 2020, o Pavement. Aquelas vozes que ecoavam nos quatro cantos e nas curvas do recinto perderam força, muitos mudaram de discurso na hora, outros demoraram a assimilar e alguns viram uma luz no fim do túnel. Se o Pavement era o primeiro nome confirmado imagina o que estaria por vir? Meses se passaram, da primavera passamos para o verão, adentramos no outono e começamos a ver cartazes pipocarem para todos os lados, festivais anunciando grandes nomes à balde, outros apresentando o cartaz fechado de 2020 antes mesmo do mês de Dezembro e aí nos lembramos e começamos a nos perguntar, e o Primavera? Considerando que as ultimas edições não foram de um agrado generalizado, àquelas vozes ecoaram novamente chegando a cogitar um fiasco ou mesmo a dificuldade de fechar um cartaz convincente. Nós, que estamos lá desde a edição 2008 e conhecemos um Primavera já nascido porém muito “jovem”, não demos ouvidos.
Nas redes sociais, o evento colocou uma contagem regressiva mas engana-se quem acha que esse clichê foi para anunciar o cartaz recheado de nomes mas sim para informar de que as entradas com preços reduzidos deixariam de serem vendidas ou melhor, a venda de entradas estaria suspensa até que o cartaz fosse anunciado oficialmente. Os comentários eram dos mais variados mas a birra era única, diferentes idiomas e o mesmo choramingo.
Até que num dia de semana qualquer e num horário até tardio o Primavera Sound 2020 foi anunciado oficialmente através de um vídeo que, possivelmente, tirou o sono de muita gente. Uma cena que se inicia no bairro do Born na própria cidade de Barcelona e que se mistura com a nova (e moderna) arquitetura local antes de uma colagem de imagens antigas enquanto nomes como The Strokes, Lana del Rey, Massive Attack, The National, Beck, Bauhaus, Iggy Pop, King Gizzard & The Lizard Wizard, Yo La Tengo, The Jesus and Mary Chain (tocando Darklands na integra) e Kim Gordon são exibidos na tela e se misturam a nomes como Tyler The Creator, Bad Bunny, Disclosure, Bikini Kill, Nina Kraviz, DJ Shadow e muito mais. Assistíamos o vídeo e imaginávamos em
tempo real o silencio dos negativos, o grito dos vibrantes e os sorrisos dos “eu já sabia”.

Iniciamos então nosso processo investigativo pelas letras menores do cartaz ou mesmo os destaques não mostrados e descobrimos uma variedade de nomes como a veia metal do evento sendo representada por Abbath e Napalm Death, o clássico Dinosaur Jr, DIIV, Tim Burgess (vocalista do The Charlatans UK), a visita anual de Shellac e… Pablo Vittar. Não leu errado não, Pablito vem à Barcelona e demonstra de uma vez por todas o ecletismo tão característico do Primavera Sound que em cartazes anteriores já colocou Slayer, Motorhead e Mayhem no mesmo saco das bandas indies, dos artistas mais renomados da eletrônica, dos DJs, dos rappers e dos folks. Do Brasil já tivemos de Elza Soares à Macaco Bong passando por Autoramas. Agora chegou a vez do Vittar que não será o único brasileiro, o Teto Preto também marca presença.
O seguinte passo é esperar e planejar nossa possível cobertura. Aos que pensam em fazer a mochila e pegar estrada, todas as informações estão no link aí abaixo